acheilondres.com

Responsive image Estilo de Vida

E o arroz, pode ou não pode?

E o arroz, pode ou não pode?

                                   

Voto Registrado com Sucesso!

Aguarde...

Hoje em dia somos bombardeados com uma série de informações sobre dieta e nutrição, porém algumas delas nem sempre são reais, é preciso sempre procurar a opinião de profissionais qualificados.

O grupo alimentar dos carboidratos tem sido criticado, algumas linhas de pensamento e alguns pseudo-gurus da área da saúde condenam o consumo da dieta normoglicídica (que mantem o consumo de carboidratos num nivel normal), porém existem milhoes de teorias sem comprovação científica e devemos filtrar bem essas informações.

Os carboidratos são fonte de energia, são o principal combustível utilizado pelas células no processo respiratório a partir do qual se obtém energia para ser gasta no trabalho celular.
O segredo está em saber escolher os tipos de carboidratos, excluí-los jamais!

Um dos carboidratos mais consumidos no mundo é o arroz que é considerado um alimento básico. De origem asiática, o cereal faz parte do dia a dia dos brasileiros, seja na tradicional combinação de “arroz com feijão” ou como ingrediente para o preparo de receitas da culinária global, incluindo risotos, paellas, sushis e até sobremesas.

Conceituado como um alimento altamente nutritivo, o arroz tem fácil digestão, possui baixo potencial alergênico e fornece energia para o corpo, por ser rico em amido. A versão integral é a mais indicada para consumo, pois contém alto teor de fibras, maior quantidade de vitaminas e de minerais”

O formato e o comprimento dos grãos de arroz determinam a textura do cereal após o cozimento, indicando qual é a melhor variedade para ser utilizada em cada preparação. Conheça alguns dos mais populares tipos de arroz:

- Arbório: de comprimento médio e com alto conteúdo de amido, o arroz arbório é utilizado para o preparo de risotos. Nesse prato típico italiano, o cereal é cozido de forma lenta em um caldo à base de carne ou galinha. Uma variedade de ingredientes, como manteiga, queijo, funghi, ervilhas e frutos do mar podem ser adicionados.

- Selvagem: apesar do nome, o arroz selvagem não é um cereal, mas uma espécie de alga indígena da América do Norte. Possui o grão longo, delgado e seu sabor lembra amêndoas. Pode ser cozido e servido puro ou misturado a outros tipos de arroz.

- Basmati: produto indiano, da região do Himalaia. Sua característica principal é ficar úmido, sem grudar (ou empapar). Possui grãos longos, aroma de nozes e a tradução literal do seu nome é “rainha das fragrâncias”.

- Java: de grãos curtos e grossos, é próprio para preparo de pudins de leite e risotos.

- Patna: arroz de grão longo e fino, ideal para o preparo de pilafs, uma prato de origem turca que consiste no cereal frito em azeite e cozido em caldo de carne com temperos e purê de tomate. Na índia, o prato é preparado com arroz Basmati.

Jasmine – arroz aromático produzido na Tailândia com aroma e sabor comparáveis ao Basmati, porém com menor custo.

Parbolizado – esse arroz possui grãos tratados em água quente, sob pressão, fazendo com que os nutrientes sejam transferidos da parte externa para a interna do cereal.

Habitue seu paladar a conhecer novos sabores, texturas e consistências. Assim, fica mais fácil variar o cardápio e tornar suas refeições ainda mais nutritivas

Carolina Capellari Simon

Nutritionist - www.carolinasimon.co.uk

Fontes: www.nestle.com.br

 

Compartilhe:

Nutricionista Carolina Capellari Simon

Nutricionista clínica , especialista em Pediatria Geral e Obstetrícia pelo HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre/RS/BR) e pós-graduada em Gestão em Saúde Pública pelo Centro Universitário da Grande Dourados. O perfil humanizado para tratar os pacientes é resultado de uma forte vivência profissional em saúde coletiva e de uma paixão pela saúde pública. +44 (0) 7756 988135

Noticias relacionadas